Saiba os prováveis vices do MDB de João Arruda

Clóvis Costa, José Carlos Chicarelli, Luciano Cajuru e João Arruda (Foto: divulgação)

Com a chegada do ex-deputado federal João Arruda, de 44 anos, na presidência da executiva estadual, o “MDB velho de guerra” perdeu o espaço para o “MDB novo de guerra”, principalmente porque os militantes do partido estão rondando os 80 anos e deram lugar para novos líderes.

Os destaques são Anibelinho Neto e João Arruda, que foram obrigados a sanear o partido, obrigado a apertar o cinto para pagar as dívidas herdadas do ex-presidente Roberto Requião.

Anibelli Neto (Foto: Alep/arquivo)

Como a família Requião mandou e desmandou no MDB nos últimos 30 anos, a perda do comando foi um gole e poderá até mesmo apoiar outra candidatura em 15 de novembro, preparando caminho para Requião Filho mudar de sigla na próxima janela eleitoral, em 2022.

Mas para azar dos Requiões, o novo MDB está nos trilhos, com vários nomes para participarem da chapa pura que terá como cabeça de chapa João Arruda, como Rogério Carboni, Clóvis Costa, Noêmia Rocha, Professora Silvia Cristina, o arquiteto Forte Neto, o advogado Ogier Buchi e o ex-vereador Dr. José Carlos Chicarelli.

Arruda não dá nenhuma pista quem será o vice, mas se for escolher um com experiência de urna, três nomes são cotados: Noêmia, Buchi e Chicarelli.

José Carlos Chicarelli (Foto: divulgação CMC)

Noêmia está se recuperando da covid-19 e Chicarelli por ter a base eleitoral em comunidades carentes, pauta importante para o MDB, mas ele sinaliza preferir o legislativo.

Buchi adoraria ser o escolhido por conhecer o funcionamento da máquina administrativa da prefeitura e vem articulando para ocupar o espaço.

Ogier Buchi (Foto: Facebook OB)

Um nome que agrada Arruda é o de Forte Neto, mas a idade avançada e o problema da pandemia de coronavírus são empecilhos, já que ele teria restrições para interagir com os eleitores.

Clóvis Costa seria uma boa, já que ele foi ouvidor do município na legislatura passada e tem sólidos conhecimentos sobre a capital do Paraná.

Rogério Carboni (Foto: Facebook RC)

As zebras seriam as indicações de Carboni, presidente da executiva municipal, ou Professora Sílvia, o primeiro tem experiência de leis e conhecimento da cidade, já a professora serviria para agradar alguns setores da sociedade civil organizada, devido a militância que tem, até mesmo no setor cultural, e por ser mulher, a moda que pegou entre as diversas chapas na disputa pela Prefeitura de Curitiba.

25 COMENTÁRIOS

  1. Greca vai levar no primeiro turno. Vai levar uma surra. Vai levar a resposta da população trabalhadora de Curitiba, que foi preterida pela elite do centro da cidade. Os bairros mais populosos vão eleger Francischinni no Primeiro Turno. A maioria dos curitibanos quer a mudança para melhor . É Francischinni na cabeça.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here