Deputados criticam sensacionalismo de matéria da Globo-RPC sobre Assembleia

Plenário da Assembleia Legislativa do Paraná (Foto: Nani Góis)

s regras para o uso das verbas de ressarcimento dos deputados na Assembleia Legislativa do Paraná estão sendo alteradas. Seguindo recomendações do Ministério Público foi formulado um projeto de resolução pela Mesa Executiva que tornam as regras para o uso dessas verbas ainda mais rígidas e mais transparentes. Entre as mudanças previstas no texto, de autoria da Comissão Executiva da Alep, está a obrigatoriedade de colocar todos os comprovantes das despesas no site do Legislativo. 

Apesar de seguir todas as recomendações do MP o ressarcimento dos deputados voltou a ser questionado pela RPCTV, afiliada da Rede Globo, que levou ao ar matéria sugerindo que os novos controles que serão aplicados não são suficientemente rigorosos.

A matéria do jornal local da Rede Globo de ontem foi considerada parcial e tendenciosa pelos deputados e foi objeto de manifestações de repúdio por parte de 11 deputados nesta terça-feira (5).

Entre eles o presidente da Assembleia, deputado Ademar Traiano (PSDB) que, em um aparte ao deputado Galo (Pode), que se manifestava contra a cobertura da Globo, fez duras críticas a cobertura “sensacionalista e tendenciosa” da emissora ao projeto.

Traiano criticou também o deputado Homero Marchese (Pros), que estaria se prestando a atender aos interesses da RPCTV em busca de promoção pessoal. Marchese é autor de um substitutivo geral ao projeto de resolução da Mesa Diretora, contendo dispositivos considerados irrealistas e demagógicos pelos deputados, mas ideais para alimentar a cobertura sensacionalista da emissora.

O primeiro-secretário da Assembleia, deputado Luiz Cláudio Romanelli (PSB), subiu a Tribuna para criticar a cobertura da Globo e o comportamento do deputado Marchese, a quem acusou de “tentar se promover enxovalhando os colegas”. Lembrou que projeto de resolução, regulamentando o ressarcimento, havia sido construído pela Mesa Diretora atendendo todas as recomendações do Ministério Público. Que ele torna extremamente rigoroso e ainda mais transparente o uso dessas verbas. E que se constituía uma “falta de respeito aos colegas” a atitude do deputado de tentar dar substância a “matéria tendenciosa da RPC”.

Também se manifestaram contra a matéria da RPCTV e fizeram críticas a atitude do deputado Marchese, os deputado Do Carmo (PSL), que inclusive o desafiou a não usar mais as verbas de ressarcimento, o líder do governo Hussein Bakri (PSD), o deputado Galo (Pode), Douglas Fabrício (PPS), Mauro Moraes (PSD), Anibelli Neto (MDB), Michele Caputo (PSDB) e Soldado Fruet (Pros).

1 COMENTÁRIO

  1. NÃO ENTENDO O MOTIVO DE TERMOS QUE PAGAR PELA ALIMENTAÇÃO DELES, ACHO QUE NÃO DEVIA SER PAGO NEM SE ESTIVEREM VIAJANDO. GANHAM MUITO BEM E PODEM PAGAR PELA PRÓPRIA COMIDA. O CIDADÃO QUE RECEBE SALÁRIO MÍNIMO E LEVA OVO EM SUA MARMITA TEM QUE PAGAR PARA AS EXCELÊNCIAS COMEREM MUITO BEM? EU SOU TRABALHADOR E TRAGO MINHA MARMITINHA E SE QUISER COMER FORA TENHO QUE PAGAR DO MEU BOLSO! E OLHA QUE GANHO MUITO MENOS QUE ESSE BANDO AÍ.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here