Programa Mãos Amigas pode ser expandido no Paraná

A parceria firmada entre a Comissão de Educação da Assembleia Legislativa do Paraná e o Programa Mãos Amigas, de ressocialização de presos do regime semiaberto, vai possibilitar a expansão da iniciativa nos próximos meses.

“Desde a criação, em setembro de 2012, 380 escolas estaduais foram reformadas, com uma economia de R$ 6,8 milhões aos cofres públicos”, explica Hussein Bakri, presidente da comissão e líder do governo de Carlos Massa Ratinho Junior (PSD), na Alep.

Por meio do Programa Mãos Amigas, os detentos realizam serviços de pintura, limpeza, jardinagem e pequenas reformas nas instituições de ensino, com materiais custeados pelo Estado ou arrecadados pela própria comunidade escolar.

O projeto prevê que a cada três dias de trabalho representam um dia a menos de prisão, o poder público economiza R$ 7,5 mil anualmente por detento com essa remissão de pena.

Os detentos, por sua vez, recebem 75% de um salário mínimo (R$ 748,50), dos quais R$ 548,90 vão para a família e o restante fica depositado em uma conta até que eles ganhem a liberdade.

“Em quase sete anos de projeto, nunca tivemos qualquer problema com o comportamento dos presos. Pelo contrário, ao deixar o sistema carcerário tendo adquirido uma série de conhecimentos profissionais, a reincidência tem sido praticamente zero desde então”, comemora o coordenador do programa, Nabor Bettega Junior.

Alcione Giaretton, Hussein Bakri, Juvenal Pereira e Nabor Bettega (Foto: Alcione Giaretton)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here