terça-feira, junho 25, 2024
spot_img
spot_img
spot_img
spot_img
InícioEconomiaRatinho Junior apresenta potencial do Paraná no Congresso na Polônia

Ratinho Junior apresenta potencial do Paraná no Congresso na Polônia

spot_img

O governo de Carlos Massa Ratinho Junior participou do painel “Perspectivas para o desenvolvimento da cooperação econômica polonês-brasileira” durante o Congresso Econômico Europeu em Katowice, na Polônia. O fórum abordou o futuro da economia polonesa e europeia à luz das experiências de outros países.

O Paraná foi convidado devido à sua parceria estabelecida com a província da Silésia, a região mais industrializada da Polônia, desde 2023, e por se destacar na economia brasileira, com a menor taxa de desemprego desde 2014, um crescimento do PIB superior à média nacional e o índice mais elevado de atividade econômica no Brasil.

O governador enfatizou que o PIB do Paraná cresceu 5,8% no ano passado, enquanto a economia brasileira teve um aumento de 2,9%. Todos os setores da economia paranaense registraram crescimento no ano. O desempenho global foi impulsionado principalmente pelo setor agropecuário, que cresceu 26,91% no Estado durante o período – o ano passado viu recordes na produção de proteína animal. O setor de serviços do Paraná expandiu em 4,18%, e a indústria teve um avanço de 3,79%.

“O Estado do Paraná tem demonstrado que é possível conciliar crescimento econômico com sustentabilidade. O Paraná é um exemplo de que não há contradição entre produzir em larga escala e preservar o meio ambiente. Nossas indústrias estão adotando estratégias verdes, nosso agronegócio está passando por uma transformação significativa na produção de energia, com apoio estatal para o uso de energia solar, biogás e produção de biometano, além de diversos programas que promovem essa sinergia, inclusive na infraestrutura, com investimentos no modal ferroviário para o futuro”, disse Ratinho Junior.

Ele também mencionou que o Paraná foi reconhecido por três vezes consecutivas como o estado mais sustentável do país e está envolvido em um programa pioneiro da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) para acelerar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), cujos primeiros resultados indicam que o estado é uma referência internacional na agenda global em defesa do clima. Ele apresentou iniciativas como o Paraná Mais Verde, que promove o replantio de florestas, o programa de proteção de nascentes e políticas como o ICMS Ecológico.

“O Paraná tem no agronegócio sua vocação, com as maiores cooperativas do Brasil e uma agroindústria robusta, exportando para 200 países. Além disso, temos um parque fabril diversificado, com indústrias automobilísticas, de celulose, bebidas, mineração, metalurgia, petroquímica, entre outras, que tornam nossos municípios locais de alta qualidade de vida. Além disso, estamos vivenciando um grande ciclo de empregabilidade desde a pandemia, com recordes de empregos ativos, impulsionando ainda mais o desenvolvimento social”, acrescentou.

Ele também destacou que a parceria com a Polônia ajudará os técnicos do Paraná a identificar novos parâmetros para a economia. “Estamos planejando o estado do futuro como um grande centro logístico, apostando no potencial produtivo de nossas cidades, investindo em inovação e na rede de sete universidades públicas estaduais, além de reforçar nosso potencial turístico, um dos setores de maior crescimento no Paraná e alinhado com a economia verde, que já representa 32% do nosso PIB”, concluiu.

Também estiveram presentes na apresentação o secretário de Planejamento, Guto Silva, o diretor financeiro do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE), Wilson Bley Lipksi, o diretor-presidente da Invest Paraná, Eduardo Bekin, e o coordenador da Superintendência Geral de Desenvolvimento Econômico e Social do Paraná, Luís Paulo Mascarenhas.

A Silésia é conhecida como a província mais densamente populosa entre as 16 da Polônia, com sua capital em Katowice. É a região mais urbanizada e economicamente próspera do país europeu, abrigando 11 universidades públicas, incluindo a Universidade da Silésia em Katowice, o principal centro educacional da nação, além de um moderno parque industrial.

Esta região está em um processo de transição econômica, com uma forte presença da mineração e indústrias pesadas, o que implica desafios em termos de sustentabilidade e busca por novas oportunidades de desenvolvimento. Portanto, a inovação e a sustentabilidade representam uma grande chance de cooperação com o Paraná, que se tornou uma referência nesses aspectos nos últimos anos.

A Silésia está situada em uma das mais importantes zonas especiais de comércio, o que atrai muitos investidores estrangeiros. A região está passando por uma transição energética, com 70% da energia gerada a partir da queima de carvão, e pretende aprender com o Paraná, que se destaca na geração de energia a partir de fontes limpas e renováveis.

Esse acordo é uma continuação do trabalho iniciado no Programa de Cooperação Internacional Urbana e Regional (IURC), criado pela União Europeia. A cooperação visa desenvolver a chamada Estratégia para Inovação Regional (Research and Innovation Smart Specialization Strategy).

O IURC tem como objetivo conectar cidades e estados de diferentes países para compartilhar soluções para problemas comuns. Trata-se de uma estratégia de longo prazo elaborada pela União Europeia para promover o desenvolvimento urbano e regional sustentável em cooperação com os setores público e privado, comunidades e cidadãos. Entre as 10 regiões selecionadas na América Latina, o Paraná é o único estado brasileiro, junto com duas regiões do Peru, uma do Chile, duas do México, duas da Argentina e duas da Colômbia.

A escolha dessa parceria foi feita pela União Europeia com base em dados enviados previamente pelas cidades e estados da América Latina e da Europa, onde as áreas de interesse foram apresentadas. Ao cruzar esses dados de várias regiões da Europa e América Latina, a coordenação técnica do programa identificou semelhanças e oportunidades entre o Paraná e a Silésia para juntos buscarem caminhos para o desenvolvimento regional com base em inovação e sustentabilidade.

Atualmente, há cerca de 1,2 milhão de descendentes de poloneses no Brasil, sendo 300 mil deles residentes em Curitiba, considerada a cidade mais polonesa do Brasil.

OUTRAS ATIVIDADES – A agenda internacional na Polônia teve início nesta terça-feira (7) com uma visita de diretores da Invest Paraná à Agência de Desenvolvimento Regional e ao FabLab. A agência é uma sociedade anônima que busca investimentos para a região de Bielsko-Biała, implementando projetos para apoiar e melhorar a competitividade das micro, pequenas e médias empresas. O FabLab Silésia é um laboratório de fabricação digital equipado com impressoras 3D, máquinas de corte a laser, fresadoras CNC e outros equipamentos.

Ontem, Ratinho Junior também se encontrou com Khlaed Mubarak Al By Saeedi, diretor de Desenvolvimento Comercial do governo dos Emirados Árabes Unidos, Kasha Piquette, ministra do Ambiente e Áreas Protegidas do governo de Alberta, no Canadá, e Heather Carmichael, diretora do Escritório de Mudanças Climáticas do governo de Alberta. Eles conversaram sobre agronegócio, pautas ambientais e a economia paranaense.

Notícias Relacionadas

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

spot_img
spot_img
spot_img
spot_img
spot_img

Notícias Recentes

- Advertisment -