Curitiba pode mudar para bandeira laranja

Márcia Huculak e Rafael Greca (Foto: Pedro Ribas/SMCS)

O crescimento do número de casos de coronavírus após a eleição de domingo passado ligou o sinal de alerta da Secretaria de Saúde de Curitiba, que pode decretar bandeira laranja e retomar algumas restrições para funcionamento do comércio – na quinta-feira (19/11), foram registrados 1.381 novos casos da covid-19 em moradores da capital, mais da metade dos casos ocorridos no Estado, de 2678.

O prefeito Rafael Greca (DEM) disse agora pouco em entrevista que “se Curitiba tiver inteligência e prudência, nós seremos mais fortes do que qualquer dificuldade.”

Greca admitiu estar em contato permanente com as autoridades do Estado e também com cidades vizinhas a fim de reforçar as ações conjuntas no combate à covid-19, alguns diretores de regionais de saúde confirmaram na manhã de hoje a possibilidade de mudança de bandeira e até mesmo a possibilidade de “lockdown” devido ao crescimento dos casos.

A Prefeitura de Curitiba confirmou o uso de Inteligência Artificial (IA) para monitorar o distanciamento social em tempo real em terminais de ônibus e estações-tubo. A administração confirma ser mais uma medida adotada para o combate à covid-19.

Na quarta-feira o jornalista Paulo Camargo deu um depoimento sobre a passagem por um dos principais hospitais da cidade; semana passada fui atendido em um hospital particular de Curitiba, o Marcelino Champagnat, com uma infecção viral na garganta. Sim, fui encaminhado à ala da COVID, como já era esperado por protocolo. Nas quatro horas que passei em atendimento, vi literalmente dezenas de pessoas de todas as idades passarem por médicos, enfermeiros e atendentes, alguns em estado preocupante. Chegaram a me dizer que, se eu tivesse necessidade de internação, teria de ser transferido para outro hospital, pois TODOS os leitos estavam ocupados. Isso oito meses após o início da pandemia!!! Havia no ar um clima de desespero, a despeito do esforço de todos os envolvidos. Estamos vivendo uma guerra e os negacionistas e autoridades insistem em fingir que não, que está tudo bem. Não está!”

4 COMENTÁRIOS

  1. A secretária de Saúde de Curitiba, Márcia Huçulak, tem que explicar porque houve um relaxamento enorme nas regras para o horário Ooméricio em geral e no Transporte Público A capital Paranaense e o estado do Paraná estão sendo referencia negativa ao combate ao novo corona virus, dezenas de óbitos todos os dias , acabou as eleição., somente entrevista e boletins nos meios de comunicação diariamente não vão salvar ajudar vidas Paulo Preto e Márcia Huçulak.

    • Não são os secretários não.
      Empresários, comerciantes e o prefeito, etc, etc.
      Todos pressionando, ainda mais perto da semana de fraude nas vendas, natal.
      Mais o povo de bem, sem máscaras, sem lavar as mãos.
      Os que reelegeram os de sempre.
      Tem muito mais culpados.

  2. É óbvio, se qualquer dor de garganta for tratada como covid, nunca haverá hospitais suficientes. Covid é uma coisa, dor de garganta, sinusite, bronquite, rinite, alergia e similares são outras. Mais prevenção e menos pânico vai bem!

    • Cinira Bolsonaro.
      Que prevenção.
      Primeiro temos que ter governo federal para criar as diretrizes da prevenção.
      Nem vacina para emergência eles planejaram comprar.
      NÓS VAMOS FICAR SEM VACINA

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here