Emergência hídrica na RMC de Curitiba será debatida em audiência pública

(Foto: Sanepar)

A estiagem prolongada e suas consequências, como o rodízio no abastecimento de água que afeta Curitiba e os municípios da Região Metropolitana, serão temas da audiência pública on-line “Emergência Hídrica e o Abastecimento de Água na Região Metropolitana de Curitiba”, que será realizada no dia 13 de agosto, a partir das 9h30, na Assembleia Legislativa do Paraná.

A proposta foi definida após uma videoconferência realizada, nesta quinta-feira (30), entre o presidente da Comissão de Ecologia, Meio Ambiente e Proteção aos Animais, deputado estadual Goura (PDT), e o diretor de Meio Ambiente e Ação Social da Sanepar, Júlio Cesar Gonchorosky.

Situação grave – “A emergência hídrica que estamos vivendo é muito grave. É preciso que a sociedade tenha acesso a todas as informações sobre quais medidas estão sendo tomadas para resolver o problema”, disse Goura. “Também precisamos saber e apontar soluções para que esta situação não se repita futuramente.”

O deputado explica que a audiência pública vai permitir um debate amplo com a participação de representantes do Governo do Estado, da Sanepar, dos consumidores e de outros interessados em aprofundar as discussões sobre as causas e as soluções para a crise hídrica.

La Niña – Segundo o diretor da Sanepar, o cenário não é otimista e as previsões apontam para o prolongamento da estiagem para os próximos meses.

Os níveis dos quatro reservatórios de água para abastecimento público registram, neste 30 de julho, a média de 40,72%.

Níveis baixos – Na Barragem do Iraí, a primeira a ser utilizada pela Sanepar, o nível é de 11,17%, na do Passaúna, o nível é de 34,29%; em Piraquara I, 20,76%; e Piraquara II, que é a última a ser utilizada, está com 99,66%.

Desde março, Curitiba e a Região Metropolitana tem enfrentado o rodízio no abastecimento de água.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here