A saga para reeleger vereadores em partidos pequenos aumenta

Os partidos menores, com vereadores na base de Rafael Greca, estão encontrando dificuldades de montar chapas, devido a fome por cargos dos famosos escadinhas, ávidos em mamar na teta da prefeitura ou da Câmara Municipal de Curitiba – Legislativo e Executivo têm aproximadamente 700 e poucos cargos para distribuir entre os aliados.

Podemos e DC estão sofrendo, por terem dois vereadores, e nem mesmo com o papo magro que vão fazer quatro cadeiras, estimula e convence as candidaturas que oscilaram nos últimos pleitos entre mil e três mil votos.

Também estão desesperados por filiar pré-candidatos: Patriota, o PRB, o Cidadania e o SD – cada tem um parlamentar no legislativo.

Para eleger um sortudo com salário de R$ 15 mil e sete cargos de livre nomeação serão necessários em torno de 25 mil adesões a legenda; para dois, 50 mil; três, 75 mil e quatro, 100 mil.

A provável míngua de recursos para as pequenas candidaturas, o tempo de televisão e a aliança com o prefeito também afastam os políticos de primeira viagem, por vislumbrarem que sem candidatos na majoritária, vão perder o voto de legenda e ficam mais distantes do Palácio Rio Branco por darem votos para as legendas grandes.

Palácio Rio Branco (Foto: Rodrigo Fonseca)

2 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here