Mais independente, Câmara Municipal de Curitiba deve dar trabalho a Greca

Dalton Borba (Rodrigo Fonseca/CMC)

O Bem Paraná informa que os partidos que lançaram candidatos de oposição à prefeitura de Curitiba elegeram 17 vereadores e devem dar mais trabalho ao prefeito Rafael Greca (DEM) na próxima legislatura, que começa em fevereiro. Boa parte dos eleitos chega à Casa com um discurso de independência e posição crítica em relação à atual administração.

Auditora fiscal, a vereadora mais votada desta eleição, Indiara Barbosa (Novo), por exemplo, tem como uma de suas prioridades a fiscalização das contas da prefeitura. “Fiscalização é a principal delas, porque tem relação com a minha profissão como auditora contábil. E é a principal função de um vereador. Verificar e fazer a fiscalização financeira, contábil e orçamentária”, explica ela. “Para entender como o dinheiro está sendo gasto, testar, verificar aonde está sendo gasto e cobrar da prefeitura uma melhor atuação”, afirma.

Outra pauta de destaque para a vereadora mais votada é reduzir a burocracia para os empreendedores, o que, segundo ele, ganhou ainda mais relevância com a pandemia do Covid-19. “O Brasil é um dos países em que a gente tem mais dificuldade para fazer negócios, Curitiba também. E a gente precisa ainda mais nesse tempo de pandemia porque quem gera emprego é o empreendedor, e o empreendedorismo vai ser ainda mais importante”, avalia.

Novas pautas – Terceira mais votada na eleição da Câmara e primeira mulher negra a se eleger vereadora, Carol Dartora (PT) tem como uma das prioridades discutir a tarifa de transporte coletivo. “A minha prioridade é conseguir denunciar e debater a diminuição da passagem de ônibus de Curitiba que está insustentável. Uma das passagens de ônibus mais caras do Brasil. Então não dá para continuar desta forma. Está muito pesado para o trabalhador”, considera.

Outra pauta do seu mandato é a violência contra a população jovem e negra de Curitiba. “Eu tenho um projeto que é o ‘Juventude Negra Viva’ para conseguir conversar com a segurança pública municipal e promover reeducação no sentido de pensar a segurança pública para quem está morrendo. E quem está morrendo é a juventude negra”, aponta.

Rolo compressor – Mesmo vereadores que já estão na Casa e vão continuar no ano que vem apostam em uma mudança no comportamento dos legisladores curitibanos. Para Dalton Borba (PDT), que assumiu uma cadeira como suplente na legislatura passada, e agora volta como titular do mandato, as urnas fortaleceram o bloco independente, que terá assim mais força para evitar manobras como o uso abusivo por parte da gestão Greca, do regime de urgência para evitar debates mais profundos sobre projetos polêmicos. “O que nós precisamos é do debate. O debate é inafastável no parlamento. O que eu quero, e vou lutar por isso na próxima legislatura, é que venha aquela base que não aceita o diálogo. Que vem com o rolo compressor para cima de tudo”, avisa ele.

2 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here