Terpasul pede R$ 200 milhões de indenização à Prefeitura de Curitiba

Linha Verde Norte (Foto:Joel Rocha/SMCS)

Aroldo Murá informa que ampliam-se as áreas de conflito judicial com a Prefeitura Municipal de Curitiba na atual gestão Rafael Valdomiro Greca de Macedo. Agora, por exemplo, a municipalidade está sendo intimada a indenizar a Terpasul Construtora de Obras Ltda. pelos danos financeiros sofridos pela empresa em decorrência das obras dos lotes 3.1, 3.2 e 4.1 da Linha Verde Norte.

O processo judicial está no valor de 200 milhões de reais – o montante chega a este total por conta de inúmeras irregularidades cometidas pela Prefeitura ao longo da execução das obras.

Ontem, 28, um procurador da Prefeitura, pedindo “o maior anonimato possível”, admitiu que “uma bomba de hidrogênio envolve o prefeito Greca, com efeitos imensuráveis para si ou para seu sucessor, com essa nova encrenca na área das obras públicas, isso se já não bastassem tantas outras…”

Em tom sarcástico, o maduro procurador perguntou: “Será que o GG garantirá a ‘parlamentação’ capaz de enrolar a questão em esferas judiciais? Afinal, ele tem notória experiência na área e é o conselheiro privilegiado do alcaide…

ENTENDA AS RECLAMAÇÕES

As reclamações que compõem a ação judicial são muitas. Envolvem serviços já realizados, desvios de tráfego não contemplados em planilhas orçamentárias, projetos refeitos pela própria empresa Terpasul (que venceu as licitações para executar os trechos da Linha Verde Norte) … entre os itens que compõem a ação judicial.

Um perito de ampla e respeitada história profissional, que examinou todo o quadro, a pedido da Terpasul, (cujo nome pede seja omitido “por ora”) assim se manifestou à Coluna:

– Somados a todos os itens, descritos detalhadamente na ação através de demonstrações financeiras e cálculos feitos pela perícia, estão obviamente multas, reajustes e correções. Tudo é legítimo e, cabe dizer, no mínimo justo perante tudo o que a PMC fez contra o andamento das obras e à própria empresa.

Linha Verde em construção

DESRESPEITO À JUSTIÇA, SURGE NOVA LICITAÇÃO

Vale lembrar que a Prefeitura rescindiu unilateralmente os 3 contratos, desrespeitando mandados judiciais, entregou simplesmente um dos lotes à segunda colocada na licitação e, não bastasse tudo isso, agora (dia 19 de junho) publica Edital para fazer nova licitação para o trecho 3.2.

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here