Paraná terá dez Ambulatórios de Especialidades

(Foto:Jaelson Lucas / AEN)

O Paraná terá dez Ambulatórios Multiprofissionais de Especialidades (AMEs) a partir de 2020. O investimento soma R$ 100 milhões. O anúncio foi feito pelo governador Carlos Massa Ratinho Junior nesta quarta-feira (11), no Palácio Iguaçu, durante o evento de liberação de R$ 168 milhões para equipamentos e reformas na saúde para 297 municípios.

Os AMEs serão gerenciados pelos consórcios intermunicipais de saúde e estão dentro da estratégia de regionalização do atendimento à população. Os municípios contemplados são Irati, União da Vitória, Campo Mourão, Cianorte, Cornélio Procópio, Jacarezinho, Ivaiporã, Paranavaí, Colombo e São José dos Pinhais. Os dois últimos vão atender, de forma separada, as zonas Norte e Sul da Região Metropolitana de Curitiba.

O governador afirmou que os AMEs potencializam a atenção especializada e vão ajudar a reforçar o modelo de gestão dos consórcios, reconhecido como ágil, prático e menos oneroso.

“No começo de 2020 já começam as construções. Esses centros de especialidades são demandas antigas da população. Tínhamos nos compromissado a ampliar esse atendimento regional e disponibilizar cardiologistas e ortopedistas mais próximos da população”, afirmou Ratinho Junior. “É uma solução que traz mais conforto e segurança, para não ter que fazer com que pacientes andem quilômetros atrás de consultas”.

INTERDISCIPLINAR – Os projeto foram elaborados pela Paraná Edificações. Cada unidade terá até quatro mil metros quadrados, numa proposta de atendimento interdisciplinar, com acesso a exames, consultas, tratamento e orientação terapêutica nas diferentes linhas prioritárias de cuidado, como a materno-infantil, saúde do idoso, hipertensão, diabetes e saúde mental.

O secretário de Estado da Saúde, Beto Preto, disse que os AMEs internalizam o conceito de atendimento completo. “Com consultas médicas, centro de especialidades odontológicas, presença de equipes multiprofissionais. E eles serão implementados com os consórcios intermunicipais de saúde. O Paraná já dobrou os repasses a essas entidades para o ano que vem”, afirmou Beto Preto. “Os prédios são amplos e vão atender com carinho a população”.

CUSTEIO – Depois das obras, o Estado também ajudará no custeio dos AMEs. O Consórcio Metropolitano da Saúde (Comesp), por exemplo, terá duas sedes, uma no Norte e uma no Sul, para atender 1,7 milhão de paranaenses. “Temos uma experiência de vinte anos com os consórcios, que vêm se aprimorando nos últimos anos. Eles só trabalham com dinheiro público e precisam ser respeitados”, acrescentou Beto Preto.

CONQUISTA – Beti Pavin, prefeita de Colombo, disse que o Ambulatório Multiprofissional de Especialidades representará um divisor de águas nas consultas eletivas da Grande Curitiba. “Temos muitas dificuldades e o Governo tem buscado alternativas para ajudar. Ao longo dos anos a população da Região Metropolitana foi tratada como de segunda classe. Não merecemos isso. O AME será todo aparelhado para as linhas de cuidado necessárias e propõe atendimento diferenciado”, afirmou. Os dois AMEs da RMC atenderão 28 municípios.

Carlos Alberto de Andrade, secretário de Saúde de Araucária e presidente do Conselho de Secretarias Municipais de Saúde do Paraná (Cosems), afirmou que uma das maiores demandas é por especialidades. “Muitos cidadãos se deslocam por quilômetros para alguma consulta. Além do aumento da oferta, com os AMEs podemos encerrar filas históricas represadas de consultas. É uma expectativa antiga dos secretários municipais”, complementou. (AEN)

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here