Incubadora Tecnológica do Tecpar já deu suporte a mais de 100 negócios

TECPAR - Incubadora Tecnológica do Tecpar - Intec - N/F: equipamento para montagem de placas e cirquitos. Curitiba, 02-09-19. Foto: Arnaldo Alves / ANPr.

A Incubadora Tecnológica do Tecpar (Intec) comemora 30 anos de atuação neste mês de setembro com resultados no estímulo à inovação e criação de novas empresas no Paraná.

Um levantamento realizado pelo Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar) identificou que a cada 10 empresas graduadas pela Intec, seis continuam ativas no mercado.

São empresas de diversos segmentos e portes que nasceram, cresceram e se estabeleceram com o apoio da primeira incubadora de base tecnológica do Paraná.

Criada em 1989 para estimular a criação e instalação de empresas de base tecnológica no Paraná, a Intec foi a quinta incubadora do Brasil com este perfil.

Ao longo de sua história, já deu suporte a mais de 100 negócios inovadores.

Para o diretor-presidente do Tecpar, Jorge Callado, o resultado do levantamento evidencia a qualidade do trabalho realizado pela Intec, ajudando empreendedores paranaenses a transformarem boas ideias em bons negócios.

“Além de ser uma parceira histórica no desenvolvimento tecnológico do Paraná, a Intec tem papel fundamental no estímulo à inovação e ao empreendedorismo. Como consequência, também contribui para o aquecimento da economia e a geração de novos postos de trabalho”, afirma Callado.

CONTROLE NATURAL – A Forrest Brasil Tecnologia é uma das empresas ativas no mercado, que teve êxito em seus projetos com o apoio da Intec. A parceria com o Tecpar iniciou em 2017, com a inauguração de um laboratório para executar o projeto que previa o controle natural do mosquito Aedes aegypti.

Segundo a diretora da empresa, Elaine Cristina dos Santos, a parceria com a Intec foi importante porque proporcionou apoio logístico, com as dependências para operar o projeto. A unidade-piloto foi instalada no Parque Tecnológico do Tecpar no Norte Pioneiro, em Jacarezinho.

A iniciativa pioneira buscava produzir e liberar na natureza machos estéreis do mosquito Aedes aegypti. Assim, estes mosquitos estéreis competiriam na natureza com os mosquitos selvagens, reduzindo a proliferação do inseto, inclusive das fêmeas, que são as transmissoras das doenças.

Desenvolvido durante sete meses, o projeto reduziu em 90% o índice de infestação do mosquito Aedes aegypti na área contemplada. Com os resultados positivos, a Forrest Brasil obteve do Instituto Ambiental do Paraná (IAP) uma licença para que a tecnologia seja aplicada em outros municípios.

“A Incubadora Tecnológica do Tecpar pode ter um papel importante para a disseminação da nossa tecnologia para o Brasil, nesse momento em que investimos fortemente no desenvolvimento do negócio e na captação de recursos. Por isso, esperamos que essa parceria se consolide em novas dimensões”, afirma a diretora da Forrest Brasil.

SUSTENTABILIDADE – A Intec também apoia ideias inovadoras voltadas à sustentabilidade. Em 2003, contribuiu para o surgimento da Ecofábrica Bolsas Ecológicas, localizada em Curitiba.

A fundadora e proprietária da empresa, Sonia Kiopik, conta que a Ecofábrica ainda era um projeto quando aderiu ao programa da Intec. “Abrimos a empresa e fomos para o Tecpar amadurecer o projeto com orientação, antes de entrar no mercado”, diz a empreendedora.

Sonia conta que por dois anos a empresa contou com as consultorias e a gestão da Intec, que fazia permanentes avaliações, apontando em que a empresa deveria melhorar ou em que aspectos o negócio deveria avançar. “Na Intec o nosso negócio tomou mais forma e começamos a montar a equipe. Acredito que todos os negócios inovadores, startups, deveriam receber apoio, orientação e investimentos através de uma incubadora”, pontua.

PROCESSO – Durante o programa de incubação a empresa passa por quatro níveis de maturidade: implantação (estruturação da empresa), crescimento (expansão dos negócios), consolidação (início da sustentabilidade financeira) e liberação (com o aumento da fatia do mercado e posterior graduação da incubadora).

“A partir do início da etapa de consolidação até o final da etapa de liberação, a incubada passa a pagar mensalmente ao Tecpar uma retribuição ao incentivo que corresponde a 3% do faturamento bruto mensal da empresa”, explica o gerente do Setor de Parques e Incubadoras Tecnológicas, Gilberto Passos Lima.

No momento, quatro empresas passam pelo programa da Intec, com o desenvolvimento de tecnologias em diversas áreas: Compracam, RR Import, Forrest Brasil Tecnologia e Toys for Boys – Chemistry Automotive.

RECONHECIMENTO – No ano passado, a Intec recebeu o certificado do Centro de Referência para Apoio a Novos Empreendimentos (Cerne), nível 1, que atesta sua eficiência em prospectar e selecionar boas ideias e transformá-las em negócios inovadores. O Cerne é uma plataforma da Associação Nacional de Entidades Promotoras de Empreendimentos Inovadores (Anprotec) que busca promover a melhoria contínua nos resultados das incubadoras de todo o país.

OPORTUNIDADE – Atualmente há 16 vagas abertas para empresas inovadoras que buscam o apoio do Tecpar para desenvolver seus negócios. As vagas são para as cidades de Curitiba, Jacarezinho, Araucária e municípios integrantes do Sistema Regional de Inovação do Norte Pioneiro. O edital completo pode ser acessado pelo endereço eletrônico: https://intec.tecpar.br/web/.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here